Pages Menu
TwitterFacebook
Categories Menu

Posted by on set 7, 2010 in Viver | 0 comments

Treino é tudo!

Acabei de me convencer de que treino é tudo na vida! Claro, que oportunidade e dom ajudam muito! Quando eu era criança e meu pai dizia para eu treinar ou me exercitar ou tentar mais vezes, era isso que ele queria que eu aprendesse. 
Eu fiquei uns dias fora sem escrever e acho que perdi a mão. Antes sentava na frente da telinha do computador e tudo fluía como água, aquilo tudo ia saindo da minha cabeça com uma simplicidade incrível. Como um pedacinho de mim ali, exposto, colocado ali para vocês poderem entrar, um pouquinho, dentro da minha cabeça. 
Agora, já acho difícil escrever, não flui como antes e, até a escrita, não tá mais tão bonitinha. Perdi a mão por falta de prática.
Fiquei pensando em práticas. Sexo, beijos, cozinhar, ser mãe, ser filha, esposa, tudo requer prática mas você, olhando para trás, percebe que tudo poderia sim: Ser melhor. Coisas boas da vida. Sexo você vai praticando ao longo da vida e vai se refinando, aprendendo sutilezas, possibilidades, se é com a mesma pessoa vai percebendo nuances do outro, territórios mais permitidos e outros mais temidos. Beijar também. Ao longo da vida você beija beijos diferentes de bocas diferentes de intenções outras e línguas diversas. 
Cozinhar é uma delícia, alimentar e sustentar alguém é uma sentimento incomparável. Oferecer um jantar, um café, um almoço: é muito simbólico oferecer sustento a alguém. Eu amo. Quanto mais você cozinha mais segurança tem, mais melindres com os temperos, mais macetes com o cozimento, o corte dos legumes, a duração do assado etc…
Agora, ser filho e ser mãe é o bicho, é difícil. Difícil ser um filho maravilhoso, exemplar, bem sucedido, lindo, se a vida traz percalços que muitas vezes não suplantamos, empregos que não gostamos, salários que não nos sustentam, gastos que torram os salários indevidamente, erros que humanamente cometemos e outros burramente repetimos. 
Ser mãe então, é um mar de aborrecimentos e erros infindáveis que vêm em ondas maravilhosas de plenitude e comprometimento, de responsabilidade e amor, enfim a vida é tão rica e nos oferece tantas possibilidades e tantos motivos para sentar e escrever e compartilhar e contar e fazer crer ou desacreditar que mesmo por ter “perdido a mão” não posso deixar de estar aqui todos os dias, ou só às vezes, para falar o que penso, sinto ou acho que penso. Taí gente, viver é muito bom . Apesar de às vezes, ser tão difícil.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: