Pages Menu
TwitterFacebook
Categories Menu

Posted by on abr 3, 2012 in Viver | 10 comments

Terça de Páscoa

Desde pequena sou gordinha. Quando entrei na adolescência, por conta própria e incômodo também, resolvi fazer regime. Eu media 1,52m e pesava 75 quilinhos. Era uma bolinha japa. Mas já tinha dentro dessa enorme massa corpórea uma personalidade forte, geniosa e sincera até demais!Emagreci 25 kg…

Claro que anos depois, após devorar quilos de livros de psicologia (e de chocolate) descobri que esse “meu jeitinho meigo de ser” fazia parte de um plano bem elaborado lá no fundinho da minha mente para me colocar no mundo de forma protegida e confortável. Meu mecanismo de defesa sempre foi esse: parecer forte e pronta para o ataque para evitar que outros o fizessem primeiro. Podem notar como as pessoas gordinhas são sorridentes, bem humoradas, têm personalidade marcante e se destacam, de tal forma, que não lembramos que elas não estão lindas esticadas dentro dos longilíneos e magros padrões de beleza. Mesmo assim todas essas características as deixam mais agradáveis, amáveis e belas.
Mas, voltando ao meu regime adolescente, na Páscoa minha mãe me dava coelhos de pelúcia! Para que eu comemorasse a Páscoa devidamente e sem comer chocolates (já que na época chocolates dietéticos ou lights eram carésimos) eu ganhava coelhos. Não! Ela jamais me daria coelhos vivos, pois nunca gostou de criação nenhuma em casa. Talvez porque, fora a sujeira, tê-los por perto remetessem à lembrança da vida sofrida no sítio, onde teve uma infância não propriamente ruim, mas com muitas restrições e cercada de criações que ela, a irmã e o irmão caçula tinham de cuidar desde que o sol raiava. 
Hoje não a tenho mais perto de mim fisicamente, mas a sinto bem pertinho na época da Páscoa, um cheirinho de outono no ar, um acalento de mãe – que só quem teve colo bom sabe o que é – e a imagem dos coelhos, “meus” coelhos de pelúcia!

10 Comentários

  1. Uau!! Amei! Que bom termos coisas legais pra recordar. =)
    Obrigada por compartilhar um pouco da sua vida conosco. E vc como sempre, arrasando nos textos. Qndo eu crescer, qro escrever assim, posso?

    Bjssss

    http://mulherunicabysu.blogspot.com

    • hahaha quem me dera…Você sempre enchendo a bola da gente e levantando o astral né Su!???? Adoooooro!

  2. Que lindo Wilka! <3
    Sempre me emociono com seus textos que falam de família, infância, amor, saudades…
    E sobre os coelhinhos de pelúcia: AMOOO!
    Na primeira Páscoa que passei com meu marido (quando ainda namorávamos) dei um para ele! :)) E hoje, ele é da minha afilhada, que ainda o tem enfeitando o quarto <3
    Bjinhos, Liri @ResuminhoBasico

    • Ai Liri, acho bonito isso de vocês dois com sua afilhada sabia?! Acho que vocês serão pais muito amorosos. Às vezes quando escrevo também fico emocionada e choro baldes! Não parece, mas sou muito chorona, choro até com propaganda! Grande beijo

  3. Oi Wilka!!

    Amei seu texto!!! Como é bom ter ótima lembranças né??
    Esse coelhinho da foto é igual a minha caramelo, hahahaha, só que ela já morreu!! Sempre tive coelhos de verdade, e agora o único vivo(o Canelinha) mora no sítio com meus pais!! 😉
    Minha Páscoa é sempre lá: friozinho, comidinha caseira e colo de mãe!! Perfeitoooo!

    Beijos,

    @amigaseafins
    http://www.amigaseafins.com

    • Olha Lu! Quero ver as fotos do sítio um dia!Smacks!Adoro a visita de vocês!

    • Isso aí Andreia, por isso me esforço tanto para que meu filho tenha uma infância bacana e feliz.Beijokas!

  4. Wilka
    Linda a lembrança da Páscoa!! Achei muito fofo o que a sua mãe fez, de te dar coelhos de pelúcia! Com certeza, um presente que dura muito mais que uma caixa de chocolates!! hehehe
    Ahh e desde quando a beleza tem que andar junto com a magreza?!
    Beijoss
    Paula

    • Ah! Paulinha, mãe é tudo de bom! Aproveite bem a sua e a encha de doçuras e gentilezas como se a Páscoa durasse para sempre! beijos

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: